O que é estilo?

Primeiramente, preciso deixar bem claro que esse post apresenta uma opinião pessoal e construída a partir de algumas experiências que tive ao longo da minha vida, sendo formatado em torno do que vi, li e interpretei. É comum nos depararmos com inúmeras declarações sobre Estilo, mas difícil mesmo é encontrarmos um consenso ideal a ser aplicado às nossas realidades. (…)

Banalizado por uma maioria que emprega tal termo em frases, muitas vezes, sem perna e cabeça, encontrar alguma fonte que transmita sua verdadeira essência não é nada fácil. Pior ainda é vê-lo contextualizado em um pedestal como algo inalcançável e que precisamos estar sempre em busca.

No entanto, o cenário não é bem esse. Por mais simples, fashion, caricato ou versátil que seja, cada um de nós possui Estilo. Um diferente do outro com suas particularidades e características próprias. Singular por excelência! O meu pode não ser tão parecido com o seu, nem o daquele com o do outro lá, mas e daí?

O que não podemos confundir, em hipótese alguma, é a noção desse termo em nossas vidas. A forma como nos vestimos através da combinação de peças e acessórios reflete uma série de valores que podem ser interpretados de acordo com as experiências que tivemos ao longo do tempo. Preferências, ídolos e outras referências servem como fontes de inspiração para tanto.

E como isso acontece? Identificação é o ponto de partida para quem deseja se compreender neste sentido. Geralmente aqueles que dominam esta prática são seguros de si e encontram na Moda, uma forma de expressão. Mais que copiar o que o outro usa, moldar referências em benefício próprio e a partir daí, aperfeiçoar o próprio Estilo.

Novos itens, estampas, cores e principalmente dizer sim ao que um dia foi inimaginável como seu. Evolução, se ligou? Portanto, invés de perseguirmos “o” Estilo que tanto falam por aí, por que não vamos nos entender e aprimorar o que já tem a nossa cara? Então, o que precisamos? Autenticidade, por favor!

Alguns possuem naturezas plurais e a cada dia buscam se apropriar de elementos variados e taxados em categorias. Existem os hippies, clássicos, esportistas e vários outros grupos. Podemos ser vários em um só. Basta querer! Mas pra isso, precisamos “segurar o Estilo”. Entendeu a diferença? A sua essência é uma, a forma de expressão é outra e as suas escolhas te definem. Mágico, não?!

Muito melhor do que querer pertencer a um determinado grupo, saber aonde se quer chegar é melhor ainda. Portanto, mãos à obra!